Saving em compras: tudo o que você precisa saber sobre este indicador

Entenda o que é saving em compras, a importância deste indicador, como reduzir os custos no curto e longo prazo e muito mais. Confira!

O saving em compras é um indicador extremamente desejado pelo setor de aquisições de todas as empresas. Normalmente, ele é utilizado para guiar ações que visam a redução de custos.

E em uma realidade como a atual, em que cada vez mais as empresas enxergam o setor de compras como um braço estratégico do negócio, a redução de custos é certamente um objetivo que vale a pena correr atrás.

Na prática, porém, o indicador de saving não somente aponta quanto dinheiro o setor economizou, mas os valores por trás de cada aquisição bem (ou mal) pensada que fora realizada.

Que tal entender mais? Compreender o que é saving em compras é essencial para gestores do setor. Confira!

 

Saving: um dos principais indicadores do setor de compras

Em um artigo recente, publicamos alguns dos principais KPIs de supply chain. Nele, mencionamos exemplos como rotatividade do estoque e entrega no prazo.

No entanto, quando falamos de saving, trata-se de uma olhar muito mais prático e estratégico sobre a capacidade do setor de economizar dinheiro.

E é justamente por isso que é importante compreender a complexidade de savings em compras, afinal, esse indicador pode se referir a diferentes coisas.

Para o setor financeiro, saving é o ato de reduzir custos para melhorar as finanças do negócio.

Já para o setor de compras, a lógica é diferente: se for possível economizar em um produto para investir mais em outro, isso é saving — mesmo que o custo total exceda o budget.

Na prática, o savings em compra representa o ganho da empresa nas negociações realizadas.

Porém, o indicador não é uma entidade única, já que existem diferentes tipos de saving que podem ser considerados:

  • Hard Savings: economia direta em um produto (como uma oferta com custo 15% menor que a atual que sua empresa paga);
  • Total cost of ownership (TCO) Savings: o time de desenvolvimento atualiza o design da sua oferta, o que muda as especificações do produto necessário para sua produção e reduz seu custo final. Ou ainda: o seu time identifica a possibilidade de terceirizar uma parte do chão de fábrica, com possibilidade de reduzir custos.
  • Working Capital Optimization Savings: o time de vendas encontra um novo fornecedor que oferece um custo por unidade do produto menor e melhores condições de pagamento que seu parceiro atual.
  • Spend under management Savings: a percentagem de gastos com aquisições que é regulada ou controlada pela gestão. À medida que os gastos sob gestão de uma organização aumentam, sua capacidade de otimizar custos e prever despesas aumenta.
  • Soft Savings ou Cost Avoidance: uma redução de custos resultado de um esforço do time, mas que muitas vezes não se mostra. Por exemplo, se o setor de Compras negociou para baixo o aumento de um produto, que originalmente seria de 30% para 20%. Na planilha final, os custos ainda vão aumentar, mas não tanto quanto possível.
  • Entre vários outros!

Como melhorar os números de savings em compras?

O esforço para reduzir os custos no setor de compras se divide de várias formas, tanto no âmbito das ações que miram saving em curto prazo, quanto ações que visam economizar no longo prazo.

Que tal entender mais?

Dicas para redução de custos em curto prazo

1. Revise os contratos existentes

Revise regularmente os contratos existentes com fornecedores para garantir que você esteja recebendo as melhores condições possíveis.

À medida que a demanda muda ao longo do tempo, as vendas e o preço dos componentes e produtos também podem mudar.

Procure oportunidades para negociar acordos mais favoráveis ​​que possam beneficiar sua empresa e fornecedores, concentrando-se em itens como frequência de compra e preços.

2. Reduza (ou elimine) despesas desnecessárias

Exceder-se nos pedidos ou fechar negócio com fornecedores não aprovados podem arriscar a saúde financeira e produtiva do seu negócio.

Além disso, despesas independentes devem ser mapeadas e gerenciadas pelos gestores do setor, de modo a suavizar o caixa do negócio.

3. Consolidar relacionamentos com fornecedores

É preciso tempo e recursos para gerenciar fornecedores.

As empresas que consolidam seus fornecedores podem economizar dinheiro e negociar melhores descontos por meio de pedidos em massa.

Dicas para redução de custos em longo prazo

1. Use tecnologia

Software de compras, ferramentas de planejamento de recursos empresariais (ERPs) e plataformas inteligentes de qualificação de fornecedores podem facilitar a otimização de gastos e gerenciamento de recursos em toda a organização.

2. Pratique o gerenciamento de categorias

O gerenciamento de categorias é uma abordagem que segmenta estrategicamente os gastos com bens e serviços em áreas com produtos similares ou relacionados.

3. Minimize o risco

Compras de emergência e gastos não conformes estão entre os erros mais caros que uma empresa pode cometer.

Minimize o risco criando políticas de aquisição fortes através de uma boa governança, treinando funcionários e usando software que pode ajudar a manter a conformidade com os gastos.

 

Gostou de aprender mais sobre o assunto?

Então siga de olho em nosso blog para continuar aprendendo sobre boas práticas para melhor gerenciar sua cadeia de suprimentos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Software para homologação de empresas com mais de 20 fontes de verificação.

Nos acompanhe

Entre em contato

Telefone: (11) 4280-8482

E-mail: contato@uqualifyapp.com

© U-qualify – Todos os direitos reservados 2020-2021.